fbpx

ESTOQUE: CONVERSAR INDIVIDUALMENTE COM O CLIENTE – PASSO 2

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Ainda conversando com meus amigos dos escritórios de contabilidade quero neste passo 2 trazer mais algumas reflexões sobre a preparação do cliente.

Bloco K, assim como o SPED como um todo, exige de todos nós uma mudança de paradigma, uma mudança de cultura, um novo olhar sobre os aspectos tributários da empresa e seu relacionamento com o fisco.

No texto anterior, Passo 1, falei sobre a necessidade de fazer uma palestra aos clientes explicando o que é o Bloco K.

A palestra seria o primeiro impacto para o cliente começar a perceber o que é esta nova obrigação. Mas este é apenas o primeiro passo, Passo 1, que precisa ser seguido de outras ações, caso contrário o impacto e o susto da palestra passam e o cliente volta à sua rotina normal.

Minha recomendação neste Passo 2 é que seja destacado um colaborador com um bom conhecimento do Bloco K e da atividade do cliente para conversar individualmente esclarecendo dúvidas oriundas da palestra assistida pelo cliente.

A ideia deste contato é conduzir o cliente nos primeiros passos da preparação para geração da nova informação. Ao assistir a palestra ocorre uma compreensão de que o fisco vai exigir muitas novas informações que antes eles não estavam acostumados a enviar.

Só que frequentemente ele sai da palestra e volta para a empresa sem saber por onde começar, o que fazer primeiro, qual será o tamanho da dificuldade na prática. Sem saber por onde começar o susto vai passando, ele vai entrando na rotina novamente e em poucas semanas o assunto Bloco K está esquecido.

Por isso penso que uma ação junto aos clientes é fundamental para que realmente haja a tal da mudança de cultura que tanto se fala. Essa mudança de cultura não ocorre na palestra, ela tem que acontecer é no dia a dia, traduzida em novas ações práticas.

Pontos importantes para conversar com o cliente:

  • Se não possui sistema de controle de estoque e produção deve providenciar com urgência pois não há outra forma segura de gerar esta informação;
  • Se já possui sistema o cliente deve verificar se está adequado à geração do arquivo para atender ao Bloco K;
  • Os produtos fabricados, internamente ou em terceiros, devem possuir ficha técnica e ser fabricados seguindo essa ficha técnica;
  • Os Cadastros devem ser atualizados adequando a nomenclatura interna aos parâmetros definidos no SPED;
  • Se faz industrialização para terceiros deverá conversar com os clientes para definirem como e quando será feita a troca de informações para ambas as partes alimentarem seu Bloco K;
  • Se encomenda industrialização em terceiros deverá conversar com os fornecedores para alinhar como e quando será feita a troca de informações para ambas as partes alimentarem seu Bloco K;
  • Preparar os funcionários, principalmente produção e almoxarifado, para geração das informações mensais para o Bloco K, entendendo o funcionamento e alimentação do sistema bem como seguindo à risca os procedimentos internos que a empresa deverá criar;
  • Deixar claro que esta informação obrigatoriamente deverá ser gerada no sistema da empresa por isso deve ser estabelecido o prazo máximo para que a informação seja enviada mensalmente para o escritório

Assim vamos aos poucos, passo a passo  preparando os clientes para o Bloco K.

 

Fonte: Livro Estoque no SPED FISCAL 

 

Professor Antonio Sergio

Consultor Tributário, Professor e Palestrante 

Instagram / Facebook /Consultoria

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendado só para você!
Em meu artigo anterior conversamos sobre este fenômeno paulista onde…
Open chat